A Bíblia prevê mais algum sinal para a Segunda Vinda de Jesus Cristo ?

                                Sim. Resta-nos pouco tempo para o “ocaso” da história, mas de acordo com as Escrituras Sagradas, ainda falta o cumprimento de alguns eventos proféticos.

                                Todas as nações, após um longo período de guerras, fomes, pestes e terremotos, vislumbrarão, um grande projeto de Paz mundial, que visará auxiliar, via plataforma das nações unidas ou algum órgão correlato, o combate efetivo a fome, a sustentabilidade, a defesa da ecologia, a igualdade de gênero, dentre outros pontos de uma agenda estritamente humanista.

                                Ocorre que para o cumprimento dessa agenda global necessário será o apoio irrestrito do poder político das principais potências das nações unidas, bem como da intersecção e o alinhamento progressivo das várias religiões no referido projeto.

                              A implementação da Nova Ordem mundial, para alguns expoentes da economia internacional, dependeria ainda, talvez, da eclosão de uma grande crise mundial, que poderia ser “fabricada” com o intuito de por em prática, definitivamente, a agenda global.

                             Todavia, ainda não se sabe como se chegará ao consenso da implementação definitiva desta agenda, todavia, vários projetos encontram-se atualmente em andamento.

                             O poder político aceitaria tal implementação sem reservas e o poder religioso, alinhado a teologia liberal e aos aspectos políticos da teologia da prosperidade, sob a alegação de estar sensível a necessidade do desenvolvimento de uma vida digna aos seus liderados, também não teria dificuldade alguma para subscrever o novo conceito arquitetado em um projeto político de proporções grandiosas.

                           A referida agenda sofreria a resistência tão somente de um pequeno grupo fundamentalista religioso, que será denominado de obtuso, preconceituoso, conservador, “errático” e insensível aos problemas da pós modernidade (fome, desigualdade social, preconceito, discriminação social, racial e sexual, etc).

                       Talvez esse grupo de resistência não será nem reconhecido expressamente como um grupo cristão, pois serão considerados como fanáticos e podem não encontrar sequer algum representante na cristandade nominal.

                        Tal grupo remanescente de cristãos, visto como fundamentalista pelas políticas de integração social, trilhará assim o seu caminho de grande angústia conforme anteriormente fora vaticinado por João em Apocalipse 13:7.

                          Nesse período turbulento, alguns cristãos serão entregues para serem atormentados e muitos serão mortos.

                          Atualmente, em todo o planeta Terra, a previsão é de que, aproximadamente, o número de cristãos perseguidos já alcança a estimativa de 100.000.000.

                              Paralelamente a essa perseguição ocorrerá no mundo um fenômeno denominado de Apostasia.

                            A Apostasia no âmbito mundial, é o elemento que falta para desencadear o último sinal para a Segunda Vinda do Messias.

                            É bem verdade que esse processo encontra-se bastante acelerado, sendo possível detectar, já agora, em nosso tempo, movimentos de apostasia com desdobramentos inimagináveis.

                            Em que consistirá a Apostasia dos últimos tempos ?

                            A resposta é complexa.

                              O envolvimento de instituições religiosas cristãs com o Poder Político das nações, deixará os olhos dos líderes religiosos, tais como Pastores, Bispos, Cardeais, Padres, aptos a subscreverem acordos com líderes Muçulmanos, Budistas e sacerdotes de outras religiões ocidentais e orientais.

                               Alguns alinhamentos no âmbito político farão com que parte da cristandade nem perceba o grau de envolvimento dessas alianças, o que viabilizará o surgimento de um grande líder mundial que fará aliança com parte considerável do sistema político religioso e com as nações mais potentes do planeta.

                               Em nome da sustentabilidade, do combate a fome, da defesa da ecologia, da igualdade de gênero e de uma agenda humanista de âmbito global, alguns cristãos, identificados acima como fundamentalistas fanáticos, começarão a ser perseguidos pela sua “intolerância religiosa” e pelo “preconceito contra a idealização de um novo projeto de família global” que contemplará diversas formas de composição, alinhado ao conceito da dignidade da pessoa humana e a afetividade, permitindo assim a efetivação da família pós moderna com contornos que poderão permitir até a poliafetividade, em nome ao respeito a dignidade da pessoa humana e ao direito de prestigiar a afetividade em uniões conjugais que contemplarão não somente o número de parceiros, mas que apoiarão, como já apoiam, as uniões entre parceiros do mesmo gênero.

                               O apoio desta Nova Ordem para o estímulo, desenvolvimento e a tolerância para este tipo de regramento, permitirá, em pouco tempo, a união entre pessoas com gêneros distintos ou assemelhados, conforme assinalado acima, gerindo a sua prole biológica ou socioafetiva, com o amplo apoio de uma legislação consistente no âmago dos princípios dos direitos humanos.

                               Não se sabe até que ponto poderá ser adotado o novo conceito de família, todavia atualmente a humanidade caminha para o reconhecimento mundial do casamento entre pessoas do mesmo sexo e há uma flexibilização paulatina da poligamia, havendo religiões que já adotam tal prática em vários países do oriente, bem como já se vislumbra também a flexibilização acerca do conceito de crime de pedofilia (https://www.dn.pt/mundo/interior/relacao-sexual-com-crianca-de-10-anos-nao-e-considerada-violacao-9311837.html).

                            A cristandade nominal estará contribuindo firmemente para o desenvolvimento de uma política global de auxílio aos mais necessitados, flexibilizando inadvertidamente seus conceitos morais, não percebendo que o grande líder desse movimento político-religioso está flagrantemente descrito pelo Apóstolo Paulo em 2ª Tessalonicenses 2:3.

                         Alguns fatores poderão contribuir para a cegueira da cristandade nominal, inserta no evangelicalismo do Século XXI, dentre eles podemos citar:

  • A teologia liberal, unida umbilicalmente a teologia da libertação;
  • A esperança pré-tribulacionista que ignora o evento previsto em II Tessalonicensses 2:3;
  • A falta de discernimento acerca do final dos tempos por cristãos egocêntricos, que esperam tão somente benefícios financeiros em sua relação religiosa com um Deus idolatrizado, nos mesmos moldes descritos em Ezequiel 14:1-11;
  • O esfriamento do amor e o aumento da iniquidade;
  • A aproximação e a adequação de um Ecumenismo global.

                       “Imediatamente após a tribulação daqueles dias ‘o sol escurecerá, e a lua não dará a sua luz; as estrelas cairão do céu, e os poderes celestes serão abalados’.

“Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem, e todas as nações da terra se lamentarão e verão o Filho do homem vindo nas nuvens do céu com poder e grande glória.

E ele enviará os seus anjos com grande som de trombeta, e estes reunirão os seus eleitos dos quatro ventos, de uma a outra extremidade dos céus”.
Mateus 24:29-31

                                    JOHNN ROBSON MOREIRA

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s